sexta-feira, 17 de outubro de 2008

"Amor Não Correspondido: O Que Fazer"

"Amor Não Correspondido: O Que Fazer"



Muitas são as pessoas que sofrem por causa disto: amor não correspondido.


Elas gostam de alguém... mas esse alguém não gosta delas.

Elas sentem algo por alguém que esse alguém não sente por elas... e então ou são rejeitadas, ou ignoradas, ou simplesmente as coisas nunca avançam como elas gostariam.

E elas fazem de tudo para conquistar o amor da outra pessoa... mas em vão. Nada muda, nada acontece...

Há uma distância que nunca se torna mais curta. Há um muro (ou muralha) invisível entre ambos que não desaparece.

Quanto a ti não sei, mas para mim é completamente desnecessário as pessoas sofrerem por causa disto. Por isso bora lá acabar com esta situação! ;)

Pessoas com bom coração e boas intenções, pessoas com valores, sofrem por todo o mundo por causa de amor não correspondido. Eu sei o que isso é porque também passei por isso várias vezes.

Eu sei pessoalmente o que é gostar de alguém e não ser correspondido, e depois sofrer por causa disso.

Mas também sei como dar a volta a isso e nunca mais ter esse tipo de problema na vida. E é isso que te vou explicar hoje.

Para saberes o que fazer tens de primeiro saber o que realmente se passa. Qual é a Verdade por detrás de um amor não correspondido?

O que é que realmente se passa aí...?

Bem, primeiro de tudo, não tem nada a ver com Amor. Eu sei que isto parece confuso, mas continua a ler com atenção.

O que se passa é o seguinte:

A única coisa que motiva um ser humano a ter uma relação íntima com outro ser humano do sexo oposto é Atracção.

E atracção não tem nada a ver com amor.

O que acontece é que se idealiza a atracção que se sente por outra pessoa como sendo amor... o que não tem nada a ver.

Atracção tem a ver com o desejo de nos reproduzir-mos com a outra pessoa. É assim que o nosso corpo e a Natureza funcionam, e não tem absolutamente mal nenhum. É a coisa mais natural em nós como animais.

Vemos ou conhecemos alguém do sexo oposto e sentimo-nos atraídos. Isso não tem nada a ver com amor, isso é o nosso corpo a querer reproduzir-se com o da outra pessoa. E é isso que nos motiva a ter uma relação íntima com ela.

Claro que isto significa que se quer ter logo sexo com a pessoa ou apenas ter sexo com a pessoa... significa que se quer ter intimidade, que é o que difere a relação amorosa da de amizade.

É uma ligação emocional e física.

Então porque é que a outra pessoa não nos corresponde?

Porque apesar de nós nos sentirmos atraídos por ela... ela não se sente atraída por nós.

E isso não tem mal nenhum, porque ninguém é compatível ou atraente para todos os seres humanos do sexo oposto. Isso não existe.

Por isso se te encontras numa situação de amor não correspondido tens mesmo de perceber isto:

A outra pessoa não se sente atraída por ti, mas isso não quer dizer que não tenhas valor ou que não prestes. Todos os seres humanos têm valor e todos têm o mesmo valor.

O verdadeiro significado disso é que simplesmente não és compatível com essa pessoa, és diferente dela e por isso ela não sente o mesmo por ti.

Agora, em relação à parte da atracção há algo que podes fazer... não em relação a essa pessoa específica, mas em relação a todas as outras que vão aparecer na tua vida.

Só há atracção quando há polaridade masculino/feminino. Se não há atracção é porque ou ambos são masculinos ou ambos são femininos.

Para haver atracção um tem de ser masculino e o outro feminino.

O que tens de fazer é decidir se queres uma pessoa masculina ou feminina. E depois de decidires tens de desenvolver em ti o teu lado oposto ao que queres na outra pessoa.

Exemplo:

Se queres um homem masculino então tens de ser uma mulher feminina...

Se queres uma mulher feminina então tens de ser um homem masculino...

Se queres um homem feminino então tens de ser uma mulher masculina...

Se queres uma mulher masculina então tens de ser um homem feminino...

Escolhe o que queres conscientemente e depois desenvolve em ti o que é preciso. Mas lembra-te que todos nós temos masculino e feminino dentro de nós, é tudo uma questão de equilíbrio interior. São energias através das quais funcionamos na vida e criamos a nossa realidade.

São ambos diferentes e opostos, mas ambos têm o mesmo valor e são necessários. A energia feminina muitas vezes é rejeitada e vista como fraca (tanto por homens como por muitas mulheres masculinas), o que é uma grande treta. Ela é tão forte como a masculina... mas de uma forma diferente.

Sem a energia do sexo oposto em nós jamais conseguiremos criar uma ligação harmoniosa com ele, lidar com ele correctamente ou compreedê-lo profundamente.

E garanto-te que isso dá um “jeito” do caraças! =)

Portanto na Verdade “amor” não correspondido é nada mais do que falta de polaridade. O que significa que tens ou de desenvolver ou o teu lado masculino ou o teu lado feminino.

Nota: na Natureza o homem funciona a energia masculina e a mulher a energia feminina (mas ambos também têm a energia oposta dentro deles). Muitas pessoas têm problemas com este conceito, o que é normal pois o ego julga tudo. Mas é esta a dinâmica natural que está em sintonia com o tipo de corpo que temos. Na Natureza nada existe ao acaso ou “só para o estilo”, como um grande amigo meu de infância costuma dizer.

Agora, claro que não tem mal nenhum um homem ser feminino e uma mulher ser masculina. A questão é: tu como homem queres mulheres masculinas? Tu como mulher queres homens femininos? Se queres tudo bem, é apenas uma questão de o decidires conscientemente e agires através dessa decisão.

Agora vem a 2ª parte da questão...

Primeiro tens de perceber que pode haver polaridade (atracção), mas isso não garante que haja compatibilidade. E isso significa que és diferente da outra pessoa. Não és inferior nem superior, és diferente. Vives a vida de uma forma diferente, tens uma personalidade diferente, tens paixões e interesses diferentes, tens valores e ideais diferentes... logo não dá para haver uma relação harmoniosa entre ambos que evolua naturalmente.

Nem todas as pessoas são compatíveis. Ninguém é compatível com todas as pessoas do sexo oposto (ou do próprio sexo). Por isso é natural que nem sempre as coisas resultem ou dêem em algo, e tens de aceitar esses momentos como perfeitamente naturais... e uma grande sorte!

Por isto:

Porque é que hás-de querer estar numa relação com uma pessoa que não tem nada a ver contigo? Com uma pessoa que critica os teus interesses? Com uma pessoa com quem não podes fazer nada do que realmente gostas de fazer, e para estar com ela tens de deixar de fazer aquilo que dá cor e energia à tua vida e existência?

Não faz sentido nenhum. Essas relações nunca são de qualidade. São assombradas por insegurança, problemas, discussões, dúvidas, etc. E se tu tens valores mas a outra pessoa não tem... bem, prepara-te para uma viagem de desonestidade, manipulação e traições. É isso que queres? Eu calculo que não...

É por isso que para além de haver polaridade tens de também ser selectivo. Conscientemente selectivo.

Isto para nunca te meteres em relações com os tipos errados de pessoas (incompatibilidade ou desonestidade).

Porque pode haver atracção, mas isso nada tem a ver com compatibilidade e valores. Lá porque há atracção e desejo de ter intimidade isso não significa que haja compatibilidade ou que a outra pessoa tenha valores.

Tens de ser conscientemente selectivo. Tens de decidir o que queres e afastar-te de quem não tem isso.

E agora vem a parte difícil...

Porque para se ser conscientemente selectivo tem de se ter auto-respeito. O teu bem estar e a qualidade da tua vida têm de ser importantes para ti. Têm de ser o mais importante para ti.

Mas para teres auto-respeito tens de ter auto-estima. Tens mesmo de gostar de ti, e isso é apenas uma decisão. Há quem decida não gostar de si por x, y e z, e há quem decida gostar de si apenas porque quer gostar de si, independentemente do quem tem e do exterior.

O primeiro grupo de pessoas não sabe o que é o Amor. O 2º sabe.

O 1º grupo de pessoas sofre quando há “amor não correspondido”. O 2º não.

Porquê?

Porque o 1º grupo vive preso dentro da cabeça, através do ego. Sente um vazio interior que o acompanha durante o dia, e vive na ilusão de que amor é algo que se vai buscar ao exterior e que se tem com o sexo oposto. E que esse vazio interior só pode ser preenchido por algo que venha do exterior, como por exemplo por alguém do sexo oposto.

Mas tudo isso é uma ilusão... é uma ideia errada.

Não há vazio nenhum.

E amor não é algo que se obtêm do exterior e que se tem com o sexo oposto.

Esse vazio é uma ilusão criada pelo ego humano, pela nossa cabeça. Ele não existe. O que existe é baixa auto-estima. É viver a pensar-se que não se tem valor, e que se precisa que alguém nos demonstre que temos valor para o conseguirmos sentir.

Chama-se a isso validação. Quando alguém nos demonstra que temos valor ou demonstra que gosta de nós, ou nos elogia, isso não tem nada a ver com Amor... isso é validação.

É algo em que o nosso cérebro pega e através do qual chega à conclusão lógica de que tem valor. Mas isso não fica lá dentro... e ele precisa constantemente dessa validação, dessa confirmação exterior de que tem valor. E isso acontece porque o ser humano vive preso dentro da cabeça. Aproximadamente 90% dos seres humanos vivem assim hoje em dia. E isto não é um número meu lançado ao calhas, foi feito um estudo de estatística para descobrir isto.

Logo Amor não é algo que se obtém do exterior. Não é algo que se dê a alguém. Não é algo que se tenha com o sexo oposto.

Com o sexo oposto tem-se intimidade.

Amor é algo que criamos e sentimos dentro de nós. É algo que temos em relação a nós próprios. E porque o temos em relação a nós próprios vivemos através dessa emoção, dessa frequência de energia. Logo lidamos com todas as pessoas através desse estado emocional, dessa forma de SER.

Não lhes podemos dar Amor... só elas sozinhas o podem criar dentro delas. E elas conseguem isso ao gostarem delas e ao se adorarem. Ao viverem através da Verdade de que têm valor e têm o mesmo valor que todos os outros seres humanos.

E que esse valor está dentro delas e é independente do mundo exterior.

Só terás compaixão pelos outros quando tiveres por ti. Sem isso o que se passa são os negócios de validação do costume, nos quais as pessoas entram em relações para obter coisas dos outros... esmola emocional e alívios da baixa auto-estima.

Não tem mal nenhum, mas prejudica as pessoas.

Quando tu te amas nunca tens situações de “amor não correspondido”. Porque Amor é algo que crias dentro de ti, logo tens essa energia sempre que quiseres. Por isso quando alguém por quem te sentes atraído não te dá validação... tu não sentes a falta de nada nem te sentes “rejeitado” ou inferior e de baixo valor.

Porque tudo o que precisas já está dentro de ti e é 100% criado por ti. Tudo isso é um processo de trabalho interior, de libertação da mente e do ego, e de desenvolvimento de compaixão incondicional por ti e por todos os seres vivos.

Segue o que Amas,
Pedro C.